quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

CRÍTICA: Bad Ass - Acima da Lei


Bad Ass: Acima da Lei
Título: Bad Ass (Original)
Ano produção: 2012
Dirigido por Craig Moss  
Duração 90 minutos
País de Origem - Estados Unidos da América

Trejo vive Frank Vega, um condecorado herói do Vietnã que é ignorado pela sociedade, ficando sem emprego e sem mulher.
Quarenta anos depois, quando há um incidente em um ônibus (ele protege um senhor negro de skinheads), faz dele em um herói local e ele passa a ser celebrado novamente.
Mas sua sorte resolve virar quando seu melhor amigo, Klondike, é assassinado e a polícia não pretende fazer nada a respeito.





BAD ASS repete a corajosa proeza de Robert Rodriguez em entregar um papel principal a um dos atores mais feios da história. E, não, eu não estou falando do Willem Dafoe.

O filme é dirigido por Craig Moss, responsável pelos “assustadores” 30 Noites de Atividade Paranormal com a Filha dos Homens que Não Amavam as Mulheres (2013); Um Virgem De 41 Anos Ligeiramente Em Apuros (2010); e A Saga Molusco – Anoitecer (2012). Mas, apesar de um currículo constrangedor, Moss entrega um filme que pode superar as expectativas.

Vamos analisar o cenário. Imagine Danny Trejo, agora imagine-o com uma senhora barba, uma camiseta com os dizeres “I AM A BAD MOTHERFUCKER” e descendo o cacete em dois skinheads idiotas. Agora, me diga: tem como dar errado? Claro que não, a diversão está garantida.

Mas Bad Ass vai além disso, e mostra um Danny Trejo que a maioria das pessoas não conhece. Apesar de ser um cara durão, que distribui porradas a torto e a direito quando necessário, o protagonista desse filme é um homem pacato, que tenta apenas sobreviver depois de se voltar da guerra e ver que não tem nada. O próprio personagem diz, em mais de uma ocasião: “não sou um homem violento”. No entanto, todos temos um gatilho que ascende o estopim. E Frank Veja chega ao seu limite quando, após perder a mãe, vê seu melhor amigo ser assassinado e a policia não fazer nada a respeito


As cenas de ação são empolgantes, e o sangue digital espirra à vontade das bocas arrebentadas. Ainda podemos ver que Trejo é bem mais que um brutamontes com cara de mal, e que é capaz de interpretar um personagem diferente de seus costumeiros vilões impiedosos e violentos. Piadas bem colocadas e na dose certa se mesclam com cenas violentas e momentos de reflexão.

O filme é bem produzido e contorna com competência suas restrições de orçamento. Além disso, tem coisas geniais, com um grafite do seu madruga nos ótimos créditos iniciais, uma perseguição entre dois ônibus e nos fazer entender por que uma mulher jovem e bonita beijaria um sujeito com a aparência de Danny Trejo.

E, pasmem, o filme é inspirado em um fato real de um senhor chamado Thomas Bruso que deu uma surra em um “folgado” dentro de um ônibus e se tornou um fenômeno na internet.. Assista abaixo o vídeo do ocorrido.



Fortemente recomendado!

Trailer do filme




E vem aí a sequencia. Trejo e Danny Glover botando pra quebrar.




3 comentários:

  1. hahahahaha não sabia que haveria um segundo com o Glover hahahaha espero que seja bacana como o primeiro. Quando vi o primeiro trailer eu fiquei encucada porque me lembrou algo, depois que vi que era realmente do vídeo que eu tinha visto no youtube eras atras. Achei demais o filme, ele não fez pra ser um filmão, mas ele e o Tarantino tem um carinho especial por explotation e Danny Trejo ♥ Tá certo que é intragável ele ficar com um mulherão daqueles, que nem Machete xD
    mas curti,espero gostar do novo
    Um abraço!
    Pan
    http://pansmind.blogspot.com/2013/11/sorteio-de-natal-amazonia-arquivo-das.html

    ResponderExcluir
  2. Que bom que também gostou do filme. Eu me diverti muuuito assistindo!

    ResponderExcluir
  3. Oi! Adorei o blog. Seguindo, claro!
    Beijos,
    Isabelle
    http://www.verbosdiversos.com/
    https://www.facebook.com/verbosdiversos

    ResponderExcluir