quarta-feira, 27 de agosto de 2014

[Resenha] Violada pelo Demônio - John D. Pope

Pobre Ana.

Aos dezesseis anos, já no fim da puberdade, não havia desenvolvido a cintura ou os seios assim como as demais meninas. Os garotos corriam e se arrastavam no desejo de tocar a pele macia de um seio, ou experimentar o tato das curvas de uma cintura. Mas com Ana, eles jamais conseguiriam isto.

Os dons de Ana não eram visíveis, principalmente em público. Suas paixões estavam presas em livros, o que fazia doer menos o fato de não ter amigos... Até que conheceu Cris.


Editora: KANNAK
Gênero: Horror, Aventura
Ano: 2014
Páginas: 23



VIOLADA PELO DEMÔNIO
Relatos de horror por um autor porra-louca

PUTA QUE PARIU!

Pode parecer rude, talvez de mau gosto, ou apenas estúpido, mas é assim que essa resenha deve começar, com um belo palavrão dito de boca cheia. Após ler o conto, você vai entender. Se você conhece o autor das redes sociais, tenho certeza que já entendeu. Antes de entrar no que interessa, cabe ressaltar que John “Devil” Pope (ou “João, o Papa Diabo”) é uma das figuras mais insanas (e por isso, divertida) que vagam pela internet.

“Violada pelo demônio” começa descrevendo a rotina de Ana, pobre Ana, uma adolescente excluída, diferente dos outros, que se refugia nos livros. Mas algumas coisas mudam quando uma nova jovem chega à sua escola. Cris.

“Além disso os livros também eram o seu escudo, ela não precisava olhar ou falar com ninguém enquanto estava lendo...”

As “gracinhas” postadas pelo autor nas redes sociais me levaram a crer que encontraria uma história gore, abundando sangue e tripas para todos os lados, coisas que não me agradam. Ainda assim, decidi ler, por curiosidade e pela porra-louquice do autor. No entanto, o que encontrei foi uma história muito interessante e bem narrada. A trama se desenrola e garante coisas bizarras e surpreendentes.

“...Quem você acha que o Devil Pope é?
— Sei lá, um cara normal.. Sabe? (...)
— Ah, fala sério! Eu acho que ele deve ser um daqueles satanistas.”

O texto é muito gostoso de ler, e os diálogos fluidos e verossímeis. Cris é uma maquina de soltar palavrões, e é isso que dá veracidade à personagem. Os rumos que a história toma surpreendem e me agradaram bastante. O “dom” da pequena Ana é uma bizarrice genial.

“ — Eu já vi chamarem buceta de muita coisa, agora “dom” foi a primeira vez.”

O final é digno de uma história clássica de terror, e deixa um gostinho de quero mais. A vontade que tive é de ter em mãos um romance completo desse insano escritor.

Recomendo a todos aqueles que não têm medo do Demônio.

Saiba mais sobre o louco autor em http://devilpope.blogspot.com.br/
Conheça outras obras do autor AQUI.




Nenhum comentário:

Postar um comentário